Arquivo do mês: janeiro 2013

Herbaria afoga os medos para comunicar o poder calmante de seus chás

A marca de chás alemã Herbaria poderia recorrer a diversas fórmulas para mostrar o poder calmante de suas ervas, porém, optou por uma incrível aventura visual que jamais exibe o lado de fora da xícara.

Ícones do terror são afogados com o peso do saquinho de chá, e assim a Herbaria diz que pode acalmar todos os seus medos.

A criação é da Jung Von Matt/Neckar.

Herbaria Herbaria

 
Fonte:http://www.brainstorm9.com.br/

Categorias: Publicidade e propaganda/Marketing | Tags: , , , | Deixe um comentário

Por que nos esquecemos das existências passadas?

 “Se o homem viveu antes, por que não se lembra de suas existências anteriores?”
 
Não temos durante a existência corpórea lembrança do que fomos e do que fizemos nas anteriores existências, mas possuímos disso a intuição, sendo as nossas tendências instintivas uma reminiscência do passado.
Não fossem a nossa consciência e a vontade que experimentamos de não reincidir nas faltas já cometidas, seria difícil resistir a tais pendores. A aptidão para essa ou aquela profissão, a maior ou menor facilidade nessa ou naquela disciplina, as inclinações interiores – eis elementos que não teriam justificativa alguma se não existisse a reencarnação.
Com efeito, se a alma fosse realmente criada junto com o corpo da criança, as pessoas deveriam revelar igual talento e idênticas predileções, mas não é isso que vemos.
No esquecimento das existências anteriores, sobretudo quando foram amarguradas, há algo de providencial e que atesta a bondade e a sabedoria do Criador. Tal como se dá com os sentenciados a longas penas, todos nós desejamos apagar da memória os delitos cometidos e felizes ficamos quando a sociedade não os conhece ou os relega ao esquecimento.
A razão desse desejo é fácil de explicar. Dá-se o mesmo com relação à volta do Espírito a uma nova existência corpórea.
Frequentemente – ensina o Espiritismo – renascemos no mesmo meio em que já vivemos e estabelecemos de novo relações com as mesmas pessoas, a fim de reparar o mal que lhes tenhamos feito. Se reconhecêssemos nelas criaturas a quem odiamos, talvez o ódio despertasse outra vez em nosso íntimo e, ainda que tal não ocorresse, sentir-nos-íamos humilhados na presença daquelas a quem houvéssemos prejudicado ou ofendido.
Evidentemente, o esquecimento do passado – que constitui uma regra nos processos reencarnatórios – não se estende à vida espiritual, em que recobramos a memória das peripécias passadas, de acordo com a necessidade de que isso se dê, o que revela mais uma vez a bondade do Pai para com seus filhos.
Categorias: Espíritas | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

Segundo os imortais, riqueza e pobreza são provas apenas

Perguntam-nos: Se riqueza e pobreza são provas, qual delas é a mais difícil?
 
Não há dúvida. Segundo o Espiritismo, riqueza e pobreza nada mais são que provas pelas quais o Espírito necessita passar, tendo em vista um objetivo mais alto, que é o seu progresso. Deus concede a uns a prova da riqueza, e a outros a da pobreza, para experimentá-los de modos diferentes. Aliás, essas provas são, com frequência, escolhidas pelos próprios Espíritos, que, no entanto, nelas geralmente sucumbem.
Tanto uma quanto outra são provas muito difíceis, porque se na pobreza o Espírito pode ser tentado à revolta e à blasfêmia contra o Criador, na riqueza expõe-se ele ao abuso dos bens que Deus lhe empresta, deturpando, com esse comportamento, seus augustos objetivos. Observe o leitor a forma verbal “empresta”, porque os bens de que dispomos numa existência são simples empréstimos e disso deveremos, mais tarde, prestar contas.
Espíritos realmente evoluídos, tanto quanto os que compreendem perfeitamente o significado da lei de causa e efeito, podem solicitar a prova da pobreza como oportunidade para o acrisolamento de qualidades ou a realização de certas tarefas que a riqueza certamente prejudicaria. Em muitas vezes, também, o mau uso da fortuna em precedente existência leva o Espírito a pedir uma reencarnação em uma condição oposta, com o que espera reparar abusos cometidos e pôr-se a salvo de novas tentações.
A pobreza é, para os que a sofrem, a prova da paciência e da resignação. A riqueza é, para os que a usufruem, a prova da caridade e da abnegação.
É preciso entendamos: a existência corpórea é passageira e a morte do corpo priva o homem de todos os recursos materiais de que eventualmente disponha no plano terráqueo. Pobres e ricos voltam, pois, à vida espiritual em idênticas condições, o que mostra que a posição social do rico ou do pobre não passa de expressão transitória.
Compreendamos também que nenhuma das provas citadas constitui obstáculo à chamada salvação. Se isso ocorresse, Deus, que as concede, teria dado a seus filhos um instrumento de perdição, ideia que repugna à razão. No tocante à riqueza, é fácil perceber que, pelas tentações que gera e pela fascinação que exerce, constitui ela uma prova muito arriscada e, de certo modo, mais perigosa do que a miséria.
 
Categorias: Espíritas | Tags: , , , | Deixe um comentário

É lícito cremar nosso corpo?

qual é a posição do Espiritismo a respeito da cremação de cadáveres humanos?

Antes de responder a esta pergunta, é bom lembrar que foi em 1774 que começou no mundo o movimento pró-cremação, uma iniciativa do abade Scipion Piattoli, o qual se expandiu pela Suíça, Alemanha, Inglaterra, França etc. No século seguinte, uma lei de 1886 consagrou na França o direito à escolha pela sepultura ou pela cremação.
A cremação apresenta vantagens e desvantagens.
No campo econômico, as vantagens são evidentes. As despesas de funeral são reduzidas enormemente, o espaço físico destinado aos cemitérios não se torna mais necessário e, em vez de mausoléus, sempre muito caros, uma urna pequena resolve o problema de acondicionamento das cinzas, se a família pretender conservá-las.
No aspecto higiênico ou sanitário, a cremação é considerada também, em muitos casos, a solução ideal. Especialistas propõem a incineração obrigatória em casos de morte por moléstia contagiosa, como tifo, varíola, escarlatina, tanto quanto nas epidemias, em que apenas o fogo pode ensejar um saneamento em regra.
Já no campo jurídico, há quem seja contrário à cremação baseado no fato de que, uma vez destruído o cadáver, torna-se impossível toda e qualquer verificação post mortem que se fizer necessária.
No tocante ao Espiritismo, nada existe nas obras Allan Kardec sobre o assunto, um fato curioso tendo em vista que a cremação era e continua sendo um procedimento comum em alguns países importantes, como a Índia e Portugal.
Em face da inexistência de uma orientação específica na Codificação Kardequiana, as opiniões no meio espírita são divergentes.
Léon Denis, por exemplo, prefere a inumação, em vez da cremação, tendo em vista que a cremação provoca desprendimento mais rápido, mais brusco e violento da entidade desencarnante, além de ser muito doloroso para as almas apegadas à Terra.
Como sabemos, determinados Espíritos permanecem algum tempo imantados ao corpo material após o transe da morte, como acontece principalmente com os suicidas. O rompimento do cordão fluídico nem sempre se consuma num curto espaço de tempo. Nessas condições, o desencarnado é como se fosse um morto-vivo cuja percepção sensória, para sua desventura, continua presente e atuante. A cremação viria causar-lhe um angustiante trauma, o que seria “aumentar a aflição ao aflito”.
Richard Simonetti entende que, embora o cadáver não transmita sensações ao Espírito, este experimentará obviamente “impressões extremamente desagradáveis” se no ato crematório a entidade estiver ainda ligada ao corpo.
Paul Bodier acha que “a incineração, tal como se pratica entre nós, é, com efeito, prematura demais”. Talvez, por isso a inumação devesse ser o processo normal, só se cremando os cadáveres com sinais evidentes de putrefação.
Emmanuel afirmou, todavia, por intermédio de Chico Xavier, que “a cremação é legítima para todos aqueles que a desejam, desde que haja um período de, pelo menos, 72 horas de expectação para a ocorrência em qualquer forno crematório”.
Ao considerá-la legítima, Emmanuel quer dizer que não se trata de algo que fira as leis naturais, sendo, porém, importante que o falecido haja feito tal escolha e que se observe o prazo mencionado.
Categorias: Espíritas | Tags: , , , | Deixe um comentário

Sacrifício de animais enfermos

Uma leitora enviou-nos as seguintes perguntas relacionadas com as criaturas do reino animal:
1) Uma irmã tem uma cachorra cega que, devido a uma enfermidade, não está conseguindo levantar-se nem comer. O veterinário decidiu sacrificá-la. Temos o direito de tirar a vida desse animal?
2) Quando autorizamos o sacrifício de um animal, por ele estar em sofrimento e doente, teremos responsabilidade por esse ato?
3) Não tendo os animais consciência dos próprios atos e não sendo dotados de razão e discernimento, eles não sofrem expiação. Em que, então, esses sofrimentos os ajudariam?
Com relação ao problema da dor que acomete os animais, o assunto já foi tratado por nós na seção “O Espiritismo responde” da edição 186 da revista espírita “O Consolador”, que os interessados podem ler clicando em http://www.oconsolador.com.br/ano4/186/oespiritismoresponde.html
Os animais não estão realmente sujeitos à expiação, e a dor por que passam é explicada num dos textos contidos na obra Ação e Reação, de André Luiz, na qual o Instrutor Druso diz que podemos identificar na experiência terrestre três tipos de dores: a dor-evolução, a dor-expiação e a dor-auxílio.
Referindo-se diretamente ao caso dos animais, Druso afirma: “A dor é ingrediente dos mais importantes na economia da vida em expansão. O ferro sob o malho, a semente na cova, o animal em sacrifício, tanto quanto a criança chorando, irresponsável ou semiconsciente, para desenvolver os próprios órgãos, sofrem a dor-evolução, que atua de fora para dentro, aprimorando o ser, sem a qual não existiria progresso”.
A dor-evolução, cujo objetivo notório é o aprimoramento do ser, nada tem que ver com atos do passado. É o que ocorre com os animais, não somente aqueles que vivem em nosso meio, como os cães, vítimas de tantas enfermidades e problemas, mas sobretudo com os que vivem em plena selva. Imaginemos o sofrimento de uma presa abatida por seu predador e estraçalhada antes mesmo de ocorrer sua morte corpórea.
Quanto ao sacrifício dos animais enfermos, recorremos ao que pensava o saudoso confrade Marcel Benedeti, médico veterinário desencarnado em fevereiro de 2010, que escreveu um livro sobre os animais e seu destino espiritual.
Em entrevista publicada pela Revista Cristã de Espiritismo, ed. 29, em 2004, perguntaram-lhe como ele analisava a questão da eutanásia praticada com animais. Benedeti respondeu: “O ser humano tem o carma, o animal não. O animal tem consciência, mas muito mais restrita, em relação ao ser humano. Ele segue muito mais os seus instintos. Então, como não tem carma, a eutanásia deve ser o último recurso utilizado; o veterinário deve fazer todo o possível para salvá-lo. Se o animal estiver sofrendo muito e não existir outra maneira, o plano espiritual não condena, porque é um aprendizado tanto para o animal quanto para o dono que precisa tomar a decisão”.

Fonte:http://espiritismo-seculoxxi.blogspot.com.br

 

Categorias: Espíritas | Tags: , , , | Deixe um comentário

O incêndio em Santa Maria / Domingo, 27 de janeiro de 2013

Domingo, 27 de janeiro de 2013

O incêndio em Santa Maria

Diante de acontecimentos assim, o que nos cabe fazer é somente orar por todas as pessoas atingidas por essa provação tão dura, não só pelos irmãos e irmãs que partiram para a vida espiritual, mas igualmente pelos familiares e amigos que aqui prosseguem em sua marcha.

Sabemos que a perda de um ente querido sempre foi, e certamente continuará sendo, um dos momentos mais tristes em nossa passagem pela experiência reencarnatória. Se, porém, algo possa servir de consolo, recordemos uma velha lição que nos vem desde Jesus, ou seja, que a morte não é o capítulo final de uma vida, porque esta prossegue sempre, ninguém morre, somos realmente imortais. (em espiritos)

Resguarda em tua assistência compassiva todos os nossos irmãos surpreendidos pela morte, em plena floração de trabalho e de esperança e acende-lhes nos corações, aturdidos de espanto e retalhados de sofrimento, a luz divina da imortalidade oculta neles próprios, a fim de que a mente se lhes distancie do quadro de agonia ou desespero, transferindo-se para a visão da vida imperecível.

Não ignoramos que colocas o lenitivo da misericórdia sobre todos os processos da justiça, mas tocados pela dor dos corações que ficam na Terra – tantos deles tateando a lousa ou investigando o silêncio, entre o pranto e o vazio – aqui estamos a rogar-te alívio e proteção para cada um!…

Dá-lhes a saber, em qualquer recanto de fé ou pensamento a que se acolham, que é preciso nos levantemos de nossas próprias inquietações e perplexidades, a cada dia, para continuar e recomeçar, sustentar e valorizar as lutas de nossa evolução e aperfeiçoamento, no uso da Vida Maior que a todos nos aguarda, nos planos da União Sem Adeus.

E, enquanto o buril da provação esculpe na pedra de nossas dificuldades, conquanto as nossas lágrimas, novas formas de equilíbrio e rearmonização, embelezamento e progresso, engrandece em teu amor aqueles que entrelaçam providências no amparo aos companheiros ilhados na angústia. Agradecemos, ainda, a compreensão e a bondade que nos concedes em todos os irmãos nossos que estendem os braços, cooperando na extinção das chamas da morte; que oferecem o próprio sangue aos que desfalecem de exaustão; que umedecem com o bálsamo de leite e da água pura os lábios e as gargantas ressequidas que emergem do tumulto de cinza e sombra; que socorrem os feridos e mutilados para que se restaurem; e os que pronunciam palavras de entendimento e paz, amor e esperança, extinguindo a violência no nascedouro!…

Fonte:http://espiritismo-seculoxxi.blogspot.com.br

Senhor Jesus!…

Confiamos em ti e, ao entregarmo-nos em Tuas mãos, ensina-nos a reconhecer que fazes o melhor ou permites se faça constantemente o melhor em nós e por nós, hoje e sempre”.  (Emmanuel)

 

Categorias: Espíritas | Tags: , , , | Deixe um comentário

TNT repete ação do botão vermelho, o vídeo publicitário mais assistido do YouTube

Com um botão vermelho no meio de uma praça, a TNT transformou sua ação no vídeo publicitário mais assistido no YouTube em todos os tempos. Obviamente, tamanho sucesso pedia um repeteco, e a agência Duval Guillame Modem atendeu os pedidos.

TNT

É basicamente a mesma ação, mas ao invés da Bélgica foi feita na Holanda, e com a desculpa de um dia frio de inverno. Diverte, mas pelo visto hoje é o dia das ideias requentadas.

Difícil vai ser repetir os 42 milhões de views do vídeo original.
Fonte:http://www.brainstorm9.com.br
 

Categorias: Publicidade e propaganda/Marketing | Tags: , , , , | Deixe um comentário

Nestlé recria campanha viral Contrexperience para água Petrópolis no Brasil

A Nestlé decidiu copiar ela mesma, e trouxe para o Brasil a popular campanha da água francesa Contrex. O strip-tease digital acumulou milhões de views em 2011, e no ano passado ganhou uma sequência com incêndio projetado.

 
A ideia foi adaptada no país para a água Petrópolis, também da Nestlé, pela agência Publicis, e tenta repetir por aqui o sucesso estrangeiro.

Petropolis
No YouTube, a marca precisou se explicar, para aqueles que a acusam de plágio. O problema não é a ideia requentada, mas essa mania de fazer uma superprodução de comercial parecer uma ação espontânea e gravada ao vivo, tanto usada aqui e lá fora nos últimos meses.

 
Fonte:http://www.brainstorm9.com.br

Categorias: Publicidade e propaganda/Marketing | Tags: , , , | Deixe um comentário

Susto em 3D

Samara, do filme O Chamado, é um dos grandes ícones do cinema. Quando o filme foi lançado em 1998 aterrorizou platéias do mundo inteiro com a cena da personagem saindo da TV para matar pessoas.

Samara

E a Dentsu, do Japão, ressuscitou Samara para divulgar a versão 3D do filme que foi lançado ano passado. Baseado na famosa cena que falei lá em cima, mais de 50 pessoas se fantasiaram com a personagem “saindo da tela”.

A ideia em si pode parecer boba, mas como eles apareceram de vez certamente deu para assustar muita gente e ajudar a esvaziar o estoque de DVD´s.

Fonte:http://blogcitario.blog.br/

Categorias: Publicidade e propaganda/Marketing | Tags: , , , | Deixe um comentário

Lavadora que funciona no frio

Para divulgar sua lavadora EcoBubble, que lava roupas com eficiência em temperaturas muito baixas, a Samsung criou um vídeo para a internet mostrando a equipe tirando fotos da máquina para fazer a campanha em um parque do Canadá coberto de neve quando aparece um convidado inesperado: um urso.

SamsungEcoBublle

O animal, logicamente, foi usado de propósito para viralizar o vídeo. Veja como a marca conseguiu transformar o urso é um bom garoto-propaganda da lavadora e divirta-se.

 


Tá com cara de que o vídeo vai alcançar o objetivo de se transformar em viral, já que em apenas um dia já tem 7000 views. Mas só o tempo vai confirmar se vão atingir a meta.
Fonte:http://blogcitario.blog.br/

Categorias: Publicidade e propaganda/Marketing | Tags: , , , | Deixe um comentário

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.